(ANAIS) FORMAÇÃO DE TERAPEUTAS OCUPACIONAIS: UMA EXPERIÊNCIA BASEADA NAS PERPECTIVAS DAS METODOLOGIAS ATIVAS DE ENSINO APRENDIZAGEM

Victor Augusto Cavaleiro Corrêa; Cibele Braga Ferreira; Marcelo Marques Cardoso

Universidade Federal do Pará

e-mail – victorcavaleiro@gmail.com

 

Formar profissionais com habilitação em Terapia Ocupacional com conhecimentos gerais e específicos necessários para atuar e aplicar adequadamente os procedimentos terapêuticos ocupacionais, capacitando-os a atuar nos níveis de atenção na área da saúde, educacional, social dentre outras políticas públicas tem sido um direcionamento e um desafio na formação desses profissionais. Os preceitos éticos, deontológicos e humanísticos, a prática voltada à prevenção de doenças, promoção, assistência, planejamento e gestão de ações de saúde, ensino e pesquisa em Terapia Ocupacional e outras áreas, também somam-se às inúmeras competências deste profissional. Este estudo objetiva compartilhar a experiência do Curso de graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal do Pará. Este se ancora na vivência das práticas acadêmicas multiprofissionais e transdisciplinares, atividades respaldadas no protagonismo ativo do aluno, como centro propulsor do ensino e, o docente o orientador da aprendizagem – mola propulsora do processo de ensino e da aprendizagem. Nossa experiência tem procurado firmar compromisso na integração com os Serviços de Saúde da região, entidades e movimentos sociais, culturais e educacionais, onde o aluno, como sujeito da aprendizagem e apoiado no professor como facilitador e mediador do processo ensino aprendizagem, busca a formação integral e adequada do estudante através de uma articulação entre o ensino, a pesquisa e a extensão. Nesse sentido, essa experiência encontra-se apoiada nos princípios da pedagogia interativa onde a operacionalização dos eixos temáticos que integralizam os conteúdos deve-se dar através de problemas relacionados à multiplicidade de fatores que interferem no processo saúde/doença da população. Neste contexto, as abordagens do processo didático–pedagógico consolidadas são: metodologias ativas com exposições orais e dialogadas, estudos de casos, análises de casos-controle, sessões de estudos individuais, seguidos de exercícios em sala de aula e práticas de campo, estudos dirigidos, seminários de ensino para aprofundamentos temáticos, visitas técnicas orientadas, estudos orientados com apresentação e devolução de técnicas específicas, teleconferências, além de outras situações didáticas que possam enriquecer o processo de ensino e aprendizagem. O ensino é orientado para os problemas presentes na área de terapia ocupacional, da saúde, da educação, ciências sociais, incluindo as diversas faixas etárias, tais como o idoso, a criança, o adolescente e o adulto, e também de diversas áreas clínicas de forma integrada, orientando o processo ensino aprendizagem, de modo sempre interativo, técnico-prático, integrando as ciências. Enfim, busca-se educar para além de instruir, estimulando o diálogo, a busca ativa pelo conhecimento, a democratização da relação professor–aluno, com objetivo de criar um ambiente propício ao desenvolvimento científico em sua essência.

Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, v. 22, Anais (suplemento especial). out. 2011

Anúncios

Deixe um comentário :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s