Dinâmica de Escuta

Uma nova dinâmica tem sido realizada rotineiramente nas aulas de ART Corpo e Arte de 2018. É uma atividade que dá a todos uma chance de olhar pra dentro de si, perceber seu estado emocional, compartilhá-lo e ouvi-lo.

O grupo é separado em duplas aleatórias, e então uma pergunta simples, porém muito importante, se respondida de maneira honesta, é feita por uma das pessoas: “como você está?”. A outra pessoa tem então dois minutos de fala, aberta e honesta, com a garantia de que não será interrompida. É pedido para que o ouvinte não faça comentários, não busque se identificar, nem dar conselhos. É uma atividade de escuta.

Após essa primeira etapa, fazem 10 segundos de silêncio absoluto mantendo contato visual.

Por fim, o ouvinte diz à sua dupla o que ele entendeu sobre o que foi escutado, e confirma se entendeu certo ou não. Então, trocam os papéis, o que falou, agora, escuta e o que escutou,  fala.

E você? Conhece alguma dinâmica interessante? Mande para nós no unifespart@gmail.com

Anúncios

Dinâmica de Trabalho em Grupo

Hoje trazemos uma dinâmica para exercitar trabalho em equipe!

Primeiro, todos dão as mãos formando uma roda. Pede-se que todos memorizem com quem estão de mãos dadas, à esquerda e à direita.

Então, pede-se soltem as mãos e andem aleatóriamente pela sala. Enquanto isso, o orientador da dinâmica desenha um circulo no chão.

Pede-se para que todos entrem no circulo. Uma vez que todos estejam posicionados, devem, sem tirar os pés do lugar (não podem se locomover), voltar a dar as mãos para as mesmas pessoas que estavam ao seus lados na roda.

Neste momento, deve haver um bolo emaranhado de pessoas de mãos dadas. Agora é lançado o desafio! Sem soltar as mãos, o grupo deve voltar a formar a roda orginal, todos lado a lado olhando para o centro.

É uma dinâmica divertida, cujo autor não é conhecido,  que cria uma situação que demanda ajuda mútua e ainda quebra o gelo para o grupo se conhecerem melhor!

O que acharam?? Mande as dinâmicas que vocês conhecem para nós! No email unifespart@gmail.com

Dinâmica Corporal

Na última segunda-feira, foi desenvolvida uma aula aberta no saguão lateral da Unifesp, campus baixada santista. Nesta, duas professoras de terapia ocupacional desenvolveram uma atividade para entrar em contato com o próprio corpo.

Foi feita uma roda, na qual todos se sentaram em cadeiras. Então, todos desencostaram as costas dos apoios e fecharam os olhos, e assim permaneceram por alguns minutos. Durante todo o processo, foi pedido aos participantes que prestassem atenção no que sentiam: dores, incomodos, partes do corpo cuja presença pouco se notava, os sons, a respiração, o batimento cardíaco, etc. Devagar todos foram abrindo os olhos e relaxando a postura novamente.

Foi proposto então que cada um fizesse, com papel, lápis e canetas coloridas, uma representação de como sentiram seus corpos durante a atividade. O resultado foi impressionante! Haviam desenhos de pessoas com mãos enormes, abacaxis sobre os ombros, membros enraizados e pés pregados no chão.

Uma dinâmica super interessante para trabalhar a presença do corpo! Você conhece uma dinâmica interessante? Mande pra nós do Atividart! Unifespart@gmail.com

Dinâmica – Mitos e Verdades

images

Nosso post de hoje vem recheado com uma dinâmica muito animada e com fim de enriquecer nossos conhecimentos em torno da pessoa com deficiência. A dinâmica chama Mitos e Verdades  .

Objetivo:
Aumentar o nível de conhecimento acerca da Pessoa com Deficiência entre os participantes.
Material:
• Cartão de questões (cada questão deverá ser escrita em um cartão);
• Caixa ou saco para as questões;
• Painel para o placar;
• Pincel atômico.
Desenvolvimento:
• Dividir os participantes em 2 grupos e realizar um jogo de acerto e erro;
• Os grupos sorteiam e respondem as perguntas de forma intercalada;
• O coordenador deverá ler em voz alta a pergunta sorteada;
• Após a resposta do grupo, o coordenador deverá dizer se a resposta
do grupo está correta ou incorreta, lendo justificativa de ser MITO ou
REALIDADE;
• Cada resposta correta corresponde a 1 ponto;
• Não há perda de pontos ao errar a resposta;
• Caso um dos grupos opte por não responder, o outro grupo tem a opção
de responder no lugar. Caso acerte, receberá 2 pontos nessa questão;
• Vence a equipe que receber mais pontos durante o jogo.
Questões:
1. É obrigatório por Lei que se tenham vagas exclusivas destinado para
Pessoas com Deficiência.
2. Todas as Pessoas com Deficiência já nasceram deficientes.
3. Segundo o Censo do IBGE, realizado em 2000, no Brasil existem menos de
25 milhões de pessoas que possui algum tipo de deficiência.
4. Uma pessoa de cadeira de rodas é considerada doente?
5. Pessoas que usam muletas são chamadas também de muletantes.
6. Segundo o Censo realizado pelo IBGE no Brasil (2000), entre as Pessoas
com Deficiência, a predominância é de Pessoas com Deficiência Física.
7. Todas as pessoas que tem deficiência visual tem perda total de visão.
8. Uma Pessoa com Deficiência visual consegue utilizar o computador
normalmente.
9. Ao ajudar uma Pessoa com Deficiência visual a atravessar a rua, o correto
é você pegar no braço dela e auxilia-la até o outro lado da rua.
10.Para conduzir uma pessoa cega para sentar, direcione as suas mãos para
trás do encosto do assento da cadeira.
11.O cão guia é dócil e por isso podemos acariciá-lo e alimentá-lo sem
problemas.
12.A Pessoa com Deficiência visual tem o direito de entrar e permanecer
com o seu cão-guia em ambientes de uso coletivo.
13.Todo surdo também é mudo.
14.Braile é a língua utilizada pelas pessoas que possuem deficiência
auditiva.
15.Pessoas com Deficiência intelectual só estão bem com os seus iguais.
16.Em empresas com mais de 100 funcionários, é obrigatória a contratação
de Pessoas com Deficiência.
Respostas:
1. VERDADEIRO – É obrigatório por Lei que se tenham vagas exclusivas
destinado para Pessoas com Deficiência.
As vagas de estacionamento exclusivas para deficientes físicos são
regulamentadas por lei (DECRETO Nº 5.296 – DE 2 DE DEZEMBRO DE 2004 –
Regulamenta as Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade
de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de
2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da
acessibilidade das Pessoas Portadoras de Deficiência ou com mobilidade
reduzida, e dá outras providências), e demarcadas em diversas cidades do
país, tanto em áreas públicas quanto privadas. São vagas que visam facilitar o
acesso às pessoas com dificuldade de locomoção. Para utilização das vagas
exclusivas, o deficiente físico deve portar em algumas cidades um cartão ou
um adesivo emitido pelo órgão competente, ambos devem ficar visíveis no
veículo em caso de utilização da vaga.
2. MITO – Todas as Pessoas com Deficiência já nasceram deficientes.
As causas das deficiências são diversas. Existem casos, em que as pessoas
já nascem com alguma deficiência. Há outros em que a deficiência é
motivada por alterações físicas e biológicas que podem surgir ao longo dos
anos. Tem ainda as deficiências decorrentes de doenças ou ocasionadas por
acidentes.
3. MITO – Segundo o Censo do IBGE, realizado em 2000, no Brasil existem
menos de 25 milhões de pessoas que possui algum tipo de deficiência.
No Brasil existe cerca de 27 milhões de pessoas que possuem alguma
deficiência.
4. MITO – Uma pessoa de cadeira de rodas é considerada doente?
A pessoa que é cadeirante está privada de andar, mas pode ser que ela
tenha uma saúde tão boa, ou melhor, do que a nossa. Devemos tratá-los
normalmente como qualquer outra pessoa que conhecemos ou aquelas que
fomos apresentados: com respeito, educação e simpatia.
5. VERDADEIRO – Pessoas que usam muletas são chamadas também de
muletantes.
As pessoas que usam muletas são também chamadas de muletantes. As
pessoas que usam muletas têm um pouco mais de autonomia do que aquelas
que andam de cadeira de rodas, mas ainda assim podem precisar de ajuda
em algumas situações.
6. MITO – Segundo o Censo realizado pelo IBGE no Brasil (2000), entre as
Pessoas com Deficiência, a predominância é de Pessoas com Deficiência
Física.
Segundo o Censo realizado em 2000 pelo IBGE (Fundação Instituto Brasileiro
de Geografia e Estatística), a grande predominância é de Pessoas com
Deficiência Visual. No total dos casos computados no Censo, 41,8% envolvem
pessoas com esse tipo de deficiência. Outros 8,3% possuem deficiência
intelectual, 4,1% deficiência física, 22,9% deficiência motora e 16,7%
deficiência auditiva.
7. MITO – Todas as pessoas que tem deficiência visual tem perda total de
visão.
Há muitos tipos de deficiência visual. Algumas pessoas vêem apenas o que
está diretamente na sua frente e nada do que está ao lado, o que chamamos
de visão tubular; outras enxergam os objetos como quebra-cabeças em que
faltasse uma ou duas peças. Ainda há pessoas que têm baixa visão, enxergam
muito pouco, mas são capazes de utilizar a visão para o planejamento
e execução de uma tarefa. E têm aquelas pessoas que não enxergam
absolutamente nada. A gravidade da deficiência visual depende da parte do
olho que estiver danificada.
8. VERDADEIRO – Uma Pessoa com Deficiência visual consegue utilizar o
computador normalmente.
Hoje em dia existem softwares específicos para que as Pessoas com
Deficiência visual tenham acesso a computadores.
9. MITO – Ao ajudar uma Pessoa com Deficiência visual a atravessar a rua, o
correto é você pegar no braço dela e auxilia-la até o outro lado da rua.
Coloque a mão dela no seu cotovelo dobrado ou no seu ombro, e deixe
que ela acompanhe o seu corpo enquanto vai andando. Avise sempre com
antecedência se há degraus, pisos escorregadios, buracos ou outro tipo de
obstáculo que possa impedir a livre circulação de vocês durante o trajeto.
10. VERDADEIRO – Para conduzir uma pessoa cega para sentar, direcione as
suas mãos para trás do encosto do assento da cadeira.
Aproveite também para avisá-la se o assento possui ou não braços, assim ela
pode se orientar melhor em relação ao espaço e às pessoas presentes.
11. MITO – O cão guia é dócil e por isso podemos acariciá-lo e alimentá-lo sem
problemas.
O cão-guia acompanha o deficiente visual servindo-lhe de olhos. Portanto,
nunca acaricie ou dê alimentos a esse animal. Os cães-guia têm um trabalho
de muita responsabilidade e, de acordo com o seu treinamento, qualquer
recompensa, seja carinho ou comida, é uma forma de avisá-lo de que está em
seu momento de folga. Essas interferências desmobilizam a guarda e atenção
do cão e podem colocar em perigo a vida do deficiente visual.
12. VERDADEIRO – A Pessoa com Deficiência visual tem o direito de entrar e
permanecer com o seu cão-guia em ambientes de uso coletivo.
A Lei nº 11.126/2005 assegura a essas pessoas o direito de ingressar e
permanecer em ambientes de uso coletivo acompanhadas de seu cão-guia.
13. MITO – Todo surdo também é mudo.
A maioria das Pessoas Surdas não é muda. Com o auxílio de fonoaudiólogo,
muitas vezes eles conseguem desenvolver a linguagem oral. Existem os
surdos mais oralizados, que muitas vezes preferem se comunicar por meio da
fala e da leitura oro-facil (leitura dos lábios e dos músculos da face).
14. MITO – Braile é a língua utilizada pelas pessoas que possuem deficiência
auditiva.
O método Braile de escrita e leitura é voltado aos Deficientes Visuais. O sistema
Braile é um conjunto de pequenos pontos – sinais em alto relevo – através dos
quais os deficientes visuais passam os dedos e conseguem identificar a letra
correspondente. As pessoas que tem deficiência auditiva se comunicam em
Libras – linguagem de sinais.
15. MITO – Pessoas com Deficiência intelectual só estão bem com os seus
iguais.
O relacionamento com Pessoas sem Deficiência pode ajudar no
desenvolvimento delas. Portanto, essa interação é essencial.
16. VERDADEIRO – Em empresas com mais de 100 funcionários, é obrigatória
a contratação de Pessoas com Deficiência.
A Lei 7853/89 e o Decreto 3298/99 determinam que as empresas reservem
uma quantidade (2% à 5%) de vagas para os profissionais com deficiência
proporcionalmente ao número de funcionários contratados.

A fonte desta dinâmica é um projeto chamado: Jogos e dinâmicas de grupo- Pessoa com Deficiência,da União do escoteiros do Brasil.

Dinâmica: Apresentação

Muitas vezes é difícil saber como começar com um grupo novo. Você quer que o grupo se sinta a vontade e se solte, quer conhece-los e algumas vezes pode estar trabalhando com um grupo tímido.

roda_grande

Esta é uma dinâmica de apresentação dos integrantes do grupo. Forma-se uma roda e cada um deverá falar o seu nome, ou apelido, ou como prefere que seja chamado, fazendo ao mesmo tempo um gesto de algo que comece com a inicial do nome. Por exemplo, pode ser:
-Helena se apresenta fazendo o gesto de estar tocando uma harpa, e diz: Helena Harpa. (Nome: Helena Gesto: Harpa).

Depois que todos se apresentarem volta ao primeiro da roda e dessa vez ele fica em silencio e o grupo deve lembrar o nome do participante e o gesto e fazê-lo.

Esta é uma dinâmica que a duração depende  da quantidade de integrantes no grupo. Ajuda todos a se conhecerem, e você pode adaptar a proposta de acordo com o que quer conhecer do grupo, por exemplo em vez de fazer qualquer gesto pode escolher uma característica dele que comece com a letra do nome, entre outras opções de adaptações.

 

Dinâmica :TESOURA NO VASO

 

amor-ao-proximo-mt-7-12

 

Objetivo:Sensibilizar o grupo para o convívio com pessoas com deficiência

Material necessário :
• Barbante;
• Tesoura;
• Vaso ou recipiente que caiba a tesoura ;
• Vendas para olhos (metade do Nº de participantes).

Procedimento:

Todos os integrantes em circulo de pé recebem um barbante, o qual uma
ponta deverá ser presa na cintura do participante e a outra ponta presa a
uma tesoura que se encontra no centro do círculo.
 A tesoura presa no centro do círculo deverá estar com a ponta voltada
para baixo. O grupo deverá tentar colocar a tesoura no vaso que se
encontra no chão debaixo da tesoura.
No circulo, de forma intercalada, ficará um sem a visão (com vendas) e
a outra sem a fala, novamente outra pessoa sem a venda e depois outra
pessoa sem a fala e assim sucessivamente.
A missão do grupo é inserir a tesoura presa no centro do círculo no vaso.

Conclusão :
Após o cumprimento da missão, fazer uma reflexão com o grupo, sobre

as principais dificuldades apresentadas durante a vivência, e como nos
comportamos ao conviver no cotidiano com Pessoas com Deficiência.

Dinamica: Meu nome em libras

Resultado de imagem para libras

Em homenagem à semana do deficiente auditivo o Blog AtividART traz uma dinâmica em comemoração a este dia. Esta dinâmica também tem o intuito de conscientizar as pessoas sobre a importância dessa linguagem para a população de deficientes auditivos.

  Dinâmica Meu nome em libras

Objetivos:

• Aprender a pronunciar seu nome na linguagem de sinais – Libras, utilizada pelas Pessoas com Deficiência auditiva;

• Estimular a comunicação entre os membros do grupo com as Pessoas com Deficiência auditiva.

Material:

Cópias do alfabeto em Libras.Resultado de imagem para alfabeto de libras

Desenvolvimento:

• Explicar aos participantes o que é Libras – linguagem de sinais; 21

• LIBRAS é a sigla da Língua Brasileira de Sinais que desde 14 de Abril de 2002 é a segunda língua do Brasil. As Línguas de Sinais (LS) são as línguas naturais das comunidades surdas; • Ao contrário do que muitos imaginam, as Línguas de Sinais não são simplesmente mímicas e gestos soltos, utilizados pelos surdos para facilitar a comunicação. São línguas com estruturas gramaticais próprias.

• Dividir os participantes em 2 grupos;

• Entregar cópias do alfabeto em Libras para cada grupo; • Os participantes deverão treinar e decorar os sinais que compõem o seu nome. 22

Fechamento:

• Cada membro do grupo se apresenta em Libras; • Vence o grupo que conseguir pronunciar mais nomes em Libras sem errar